Temporada de caça novembro

Não sei se já notaram, mas quando chega o mês de novembro, aumentam os volumes de tiros, de feridos e de apostas.

Falo daquela época em que surgem os grandes projetos do mercado para o ano que vai se iniciar: esse é o momento da “plantação”, quando as verbas já estão sendo semeadas e é um período fundamental para todos os que querem colher no novo ano.

É quando surgem as boas ideias e as novas propostas: as fusões, as compras, os grandes acordos, novos pacotes e as tentativas de mudar o “status quo”.

Tempo das fortes mudanças de comandantes de operações, quando saem os que não foram bem sucedidos (mesmo que a versão não diga isso) e começam as buscas dos novos líderes, com mais gás e outros desafios.

Momentos de oportunidades para quem fica e quando se abrem novas janelas para quem procura melhores colocações.

É o último respiro de boa parte dos projetos e empreendimentos.

Por vezes, é o tempo de ilusão para uma cartada que ainda salve o ano vigente. Em muitas outras, simplesmente, é mais um mandato tampão, até passar o tempo de Carnaval e ver se o mercado sozinho ajuda no embalo.

Bem recentemente, entre os veículos, já “tombaram” o Jornal da Tarde, o Correio do Povo de Campinas, a Rádio Estadão/ ESPN (vira só Rádio Estadão) e sei, de novo, que já tem Rádio importante sendo vendida pros “bispos”.

Por outro lado, surgem projetos de novos títulos internacionais de mídia impressa no país, abertura de licitações públicas de altíssimo potencial (como do mobiliário urbano em São Paulo), novos grupos internacionais atuando na área de educação, fortalecimento da área de entretenimento, etc.

Se você ainda não soltou o seu projeto, corra.

Se você não notou o movimento, acorde.

Se você continua aí impávido, relaxado, achando que na tua área está tuuuudo bem, prestenção!

Geraldo Leite é sócio-diretor da Singular, Arquitetura de Mídia

 

postado por admin em 12 de novembro de 2012, 20:15   |   0 comentários