Próximo destino, Los Angeles

Grupo de Mídia SP diversifica destino das suas viagens internacionais em busca de novas experiências

Em setembro, o Grupo de Mídia São Paulo leva mais uma vez profissionais do setor para uma viagem internacional. O destino será Los Angeles, pela primeira vez. Os detalhes ainda estão em definição, segundo Geraldo Leite, sócio-diretor da Singular e responsável pelo conteúdo, pela seleção dos locais que serão visitados e pelos pacotes das viagens do Grupo de Mídia há três anos — antes disso, ele assessorava o conteúdo.

Mesmo sem ter tudo pronto, Leite adianta os direcionamentos dos locais a ser visitados em 2011. Já que a cidade é a sede de Hollywood, estão previstas visitas a estúdios que sejam interessantes pelo ponto de vista profissional, como aqueles que atuam com múltiplos canais de comunicação, por exemplo. O entretenimento também terá foco nessa viagem, no qual será estudado como as empresas especializadas comandam operacionalmente os grandes shows e vendem os ingressos e de que forma funcionam a indústria do cinema e as produtoras independentes, entre outros. (mais…)

postado por admin em 23 de junho de 2011, 10:09   |   0 comentários

Bem-vindo(a) ao novo site da Singular!

Inauguramos um novo site! Afinal, com tantas mudanças no nosso mundo off-line, era no mínimo injusto não buscar uma nova personalidade para nossa versão digital. Esperamos que todos façam um bom uso e sintam-se a vontade na nova casa. Sua visita é muito bem-vinda e nem precisa limpar os pés para entrar.

O site ficou mais simples e divertido de navegar. Para facilitar a vida de todos, o conteúdo é mais objetivo e totalmente integrado às mídias sociais. O Blog contará com posts semanais de diversos colaboradores sobre vários temas relacionados à comunicação, mídia e conteúdo.

Espero que você goste e que sempre que possível nos façam uma visitinha para saber as novidades.

Abraços

Equipe Singular

postado por sing em 22 de junho de 2011, 10:55   |   0 comentários

A Internet é energia

Quero comentar sobre a Internet, mas não sobre ela diretamente e sim do gás que ela dá para as mídias já estabelecidas.

No caso da mídia impressa em geral, apontada como vítima inevitável da ascensão do conteúdo gratuito, vemos Revistas e Jornais pelo iPad com uma dinâmica e uma entrega de mídia (conteúdo e comercial) muito melhor do que o padrão anterior.

O Rádio também, com o advento da Internet, consegue propiciar uma cobertura geográfica sem barreiras, um diálogo com o ouvinte bem além da escolha da música preferida e um potencial extraordinário de cobertura comercial casada; muito embora ainda minimamente explorada pelos anunciantes e agências.

A TV Aberta, erroneamente (ou emocionalmente) classificada como a vítima seguinte, também já convive com o poder da audiência simultânea, do aprofundamento do tema durante e pós programas, do buxixo das redes sociais e tudo isso leva a uma forte realimentação do sistema.

A TV por Assinatura, hábil como Revistas em construir targets, logo enxergou o potencial de extensão da audiência online e consegue viabilizar mais facilmente promoções e aproximações com a audiência.

Até a mídia Digital Out-of-Home encontrou na Internet, junto com o Celular, o elo perfeito para a interatividade e a possibilidade de falar mais próximo com audiências distintas.

Nesse novo parque de comunicações, a própria Internet, à la Zelig do Woody Allen, se transforma em um pouco de cada meio: ela antecipa os filmes que serão sucessos na TV paga, ela procura dar notícias antes do rádio, ela faz com que as manchetes dos jornais ou das revistas de informação fiquem velhas mais cedo, ela sugere rádios online, ela transmite futebol, ela acompanha as celebridades, vira um ótimo canal de música e por aí vai.

Quem fechar os olhos será engolido.

Quem surfar junto e tiver qualidade de conteúdo pode ter uma vida longa.

Com toda essa amplitude de novas funções, serviços, hábitos e sentidos, a Internet proporciona um verdadeiro banho de luz na mídia estabelecida.

Matéria publicada no blog do Meio&Mensagem,

na sessão Digital, na coluna Ponto de vista, dia 21 de junho de 2011,

por Geraldo Leite

 

postado por admin em 21 de junho de 2011, 17:38   |   0 comentários

Criança no centro de sua história

À frente do Midiativa, uma ONG voltada à discussão da programação audiovisual para a infância e adolescência, Beth Carmona capitaneia o evento ComKids – Festival Prix Jeunesse Iberoamericano, que acontece em São Paulo de 11 a 19 de junho. Dividido em quatro segmentos — mostra, prêmio, workshop e jornada de negócios —, o evento, de acordo com o que Beth explica nesta entrevista, pode ser uma boa vitrine para se observar como nossos países vizinhos chegaram a boas soluções em conteúdos de qualidade para esta faixa de público cada vez mais carente de produções nacionais. E o principal: com viabilidade comercial.

(mais…)

postado por admin em 8 de junho de 2011, 10:30   |   0 comentários

Cadê o Brasil da mídia?

Nesse novo tempo de país, numa época diferente, onde o crescimento parece que veio para ficar, não noto uma postura do mercado de procurar, de fato, interiorizar, diversificar e ampliar o volume de investimentos em mídia pelo país, através da utilização de um maior leque de veículos ou de mais alternativas regionais.

Nós sempre falamos dos grandes números da mídia do país: 5 mil emissoras de rádio, 3,5 mil jornais, milhares de revistas (400 auditadas), 100 canais pagos, 400 estações de TV, milhares de sites / centenas de portais,  etc

E quantos veículos, na realidade, programa esse nosso mercado para os clientes nacionais? Dificilmente mais do que 4 ou 5 redes de TV, poucos títulos de 3 ou 4 editoras, 1 ou 2 jornais e rádios dos 9 principais mercados, 2 ou 3 portais e por aí vai…

Falo de duas questões: a) ampliar o estilo de programação dos veículos nacionais, valorizando mais os espaços locais e regionais e b) ampliar os meios e os veículos, para chegar com uma comunicação mais quente naquelas regiões que não tinham até agora mensagens dirigidas.

Isso seria ótimo para a comunicação dos produtos, para as populações e consumidores locais, para os mercados de produção, jornalístico, artístico, faculdades e talentos em geral.

Enfim, não era essa a idéia que nós, alguns idealistas e abnegados, defendíamos no Congresso de 1978 falando sobre “A necessidade de uma Ecologia de Mídia”?

Matéria publicada no blog do Meio&Mensagem,

na sessão Mídia, na coluna Ponto de vista, dia 27 de maio de 2011,

por Geraldo Leite

 

 

postado por admin em 3 de junho de 2011, 10:22   |   0 comentários